domingo, 15 de julho de 2018

Final de Copa




França é bicampeã! Uma Copa do Mundo bastante disputada. 4-2 foi o placar que seu o título aos franceses.

Dechamps entra para a história do futebol como campeão de uma equipe como jogador e como técnico. 

Que venha o Catar. Que venha o hexa na próxima Copa.

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Sugestões para o Top 10

Pois é turma

Abro oportunidades para vocês se expressarem. Se vocês querem um top 10, peço para vocês um tema. Vai desde top 10 de cenas violentas demais, que contenham muito sangue ou simples toip 10 de eu gosto de chocolate ou top 10 das melhores cenas de beijo. Por favor, coloquem as sugestões aqui nos comentários. Fala que eu escuto vocês

O que eu pensei para os próximos posts: 


  • Top 10 de filmes do Wernner Herzog. ( tem uma pessoa que já me pediu isso)
  • Top 10 de filmes com temátcia esquerdista
  • Top 10 diga não à ditadura
  • Top 10 eu gosto de chocolate

Caso vocês não gostem, por favor falem e peçam um top 10. 

ESPERO POR VOCÊS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Homem Formiga e a Vespa


Resultado de imagem para homem-formiga e a vespa elenco


Mais uma ve a marvel tem se inovado mais e mais. Depois de fazerem um filme com um super Herói Afrodescendente (O Pantera Negra), chegou a vez da Vespa. Claro que ela não poderia estar sozinha já que tem a companhia do Hoemm Formiga. 

Nossa história começa com o nosso quaser super herói Homem Formiga usando uma tornozeleira eletrônica. Ele recebe uma ajuda inusitada do Doutor Pyn e de sua filha que agora é a Vespa. Eles precisam entrar na Zona MicroAtômica onde encontra a ma~e desaparecida de nossa heroína. Com isso, eles vão enfrentar muitos obstáculos, incluindo uma super vilã de nome Ghost.

O filme é para se divertir. Paul Rudd e Evangeline Lily fazem a gente morrer de rir como  uma espécie de um quase par romântico. Mas quem rouba a cena mesmo, é o engraçadíssimo Michaell Peña. Ele deu o ar de sua graça no primeiro filme e agora continua mostrando seu talento. Um outro nome que eu quero citar é da atriz mirim Abby Ryder Forton, a Casey.  Ela rouba também a cena ao dizer que quando crescer ela quer ser uma espécie de Mulher Formiga. 



quarta-feira, 11 de julho de 2018

Capa da Revista Mensch: Helga Nemeczyk




http://revistamensch.com.br/estrela-o-show-de-helga-nemeczyk/

Tive a honra de conhece-la além disso, tive a honra de consagra-la  Musa do Canto do Gallo no antigo site do Cuecas de Plantão, fiquei muito feliz em saber que Helga Nemeczyk é a capa da Revista Mensch desse mês. Foi uma entrevista bem bacana. Posso dizer com todas as letras que a Musa é uma mulher de atitude. Uma coisa importante nestas linhas, foi o seguinte,, não existe padrões estéticos de beleza. A capa não precisa ter um corpo perfeito ou ter corpo de modelo.


FIGURINHA CARIMBADA


Marcia Dornelles fez uma produção nota 10. Ela continua revelando talentos maravilhosos. . Agora, ela revela essa que foi destaque no Show dos Famosos imitando Lisa Milnelli. 
Foi assim com Ary Aguiar Junior, Cida Costa e tantos outros.
Continue fazendo este trabalho maravilhoso e espero um dia reve-la em breve.
Marcia Dornelles é minha figurinha carimbada. 

terça-feira, 10 de julho de 2018

Festa do Morango em Atibaia


Nada mais gostoso do que saborear morgangos e curtir uma festa de arromba. Dia 9 de de Julho, feriado em São Paulo, pude estar na Festa do Moragno em Atibaia. Foi um evento muito animado que teve a presença do Coral de Violas de Valinhos (foto). Este maravilhoso grupo tocou grandes sucessos da música setaneja como Romaria. Ali, houve exposição de morangos além de brinquedos e mini shopping. Não posso esquecer da foto aí em baixo que foi ornamentado de coisas da terra para comemorar os 110 anos da imigração japonesa. 


PEDRA GRANDE DE ATIBAIA


Depois da festa, nada melhor do que observar a beleza da Pedra Grande de Atibaia. Ao conhcer a cidade, Tatiana e eu nos dirigimos a este ponto turísitico. Visitar esta pedar foi tudo de bom. Se você pensa em visita-la, aí vai uma dica. Faça um check-up em seu carro. Revise armotecedores bem como freios e lanternas. a subida é muito ingreme. mesmo se você não tem um carro 4 por 4, vale a pena! 




O Visual é uau!!!!!!!!!!!!!!!!!

sábado, 7 de julho de 2018

Cabeças trocadas



A história parte de Shridaman (brâmane culto e espiritualizado) e Nanda (belo e rude trabalhador da terra), dois jovens amigos inseparáveis. Ambos se apaixonam por Sita, após vê-la tomando o banho de purificação. Nanda, vendo o sofrimento do amigo, ajuda-o a desposar Sita mesmo amando-a. Ela engravida e os três viajam em uma carroça para levá-la até seus pais. Shridamam percebe um olhar de desejo de sua esposa para o amigo e resolve parar no santuário da tenebrosa mãe Kali, onde decepa a própria cabeça para libertar a mulher e o amigo. Nanda vai procurá-lo e percebe que ele está morto; sente-se culpado e resolve seguir seu amigo no suicídio. Sita entra no templo, encontra os dois mortos e decide se enforcar ao perceber sua culpa. A deusa Kali aparece e a impede de cometer o ato, além de lhe dar a chance de tê-los de volta. É quando Sita decide trocar-lhes as cabeças e, a partir daí, terá que viver com as consequências de sua escolha.
 O conto  é insprado em uma história muito antiga particularmente das lendas da Veda. Thomas Mann se ionspirou nele e adaptou esta aventura maravilhosa. O Grupo de Teatro Caixa de Fuxico. nos brinda com um monólogo.  Posso falar que este triângulo amoroso,  depois de séculos e séculos continuam apaxionando pessoas do mundo todo. . 
A atriz Andrea Cavinato nos conduz a este mundo mágico da Índia. Um país que atrai milhares de aventureisros e mostra não apenas um mais vários caminhos para o desconhecido. O espetáculo presta homenagens a grandes mulheres da história como Rosa de Luxemburgo e Olga Benario Prestes. 
A peça estreou esta sexta e tive a honra de ve-la. Um lindo espetáculo que vai mexer com você. 

Mas você pode ver também. Sextas, sábados e segundas às 21:00 e domingos às 19:00 horas. Vai até o dia 6 de agosto. Local: SP Escola de Teatro Praça Roosevelt  210.


quinta-feira, 5 de julho de 2018

Brasil é condenado por não investigar assassinato e tortura de Vladimir Herzog


Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH)condenou nesta quarta-feira o Estado brasileiro pela falta de investigação, julgamento e punição aos responsáveis pela tortura e assassinato do jornalista Vladimir Herzog, ocorrido em 1975. O tribunal internacional também considerou o Estado como responsável pela violação ao direito à verdade e à integridade pessoal, em prejuízo dos familiares de Herzog.
A CIDH determinou que os fatos ocorridos contra Vladimir Herzog devem ser considerados como um crime de lesa-humanidade, conforme definido pelo direito internacional, diz a sentença.
Em 24 de outubro de 1975, Vladimir Herzog, então com 38 anos, funcionário da TV Cultura de São Paulo, apresentou-se voluntariamente para depor às autoridades militares no DOI/CODI, em São Paulo.
Entretanto, foi privado de sua liberdade, interrogado, torturado e finalmente assassinado, em um contexto sistemático e generalizado de ataques contra a população civil considerada como opositora da ditadura brasileira, e em particular contra jornalistas e membros do Partido Comunista Brasileiro, segundo a ação.
As autoridades brasileiras da época informaram que se tratou de um suicídio, uma versão comprovada como falsa pela família do jornalista e na própria ação que tramitou na CIDH. Posteriormente, em 1992, as autoridades iniciaram uma nova investigação, que no entanto foi arquivada devido à Lei de Anistia.
Os familiares moveram em 1976 uma ação civil na Justiça Federal que desmentiu a versão do suicídio, e em 1992 o Ministério Público paulista pediu a abertura de um inquérito policial, mas o Tribunal de Justiça do Estado considerou que a Lei de Anistia impedia a investigação.
Depois de outra tentativa de esclarecer os fatos, em 2008, o caso foi arquivado por prescrição, segundo a ação.
Ao ser classificado como um crime contra a humanidade, o Tribunal concluiu que o Estado não podia invocar nem a existência da figura da prescrição, nem a aplicação do princípio ‘ne bis in idem’, da Lei de Anistia ou de qualquer outra disposição análoga ou excludente similar de responsabilidade, para isentar-se de seu dever de investigar e punir os responsáveis.
A Corte Interamericana concluiu que, devido à falta de investigação, o Estado brasileiro também violou os direitos às garantias judiciais e à proteção judicial dos familiares da vítima, identificados como Zora, Clarice, André e Ivo Herzog. Em nota, o Instituto Vladimir Herzog celebrou a sentença e afirmou que "cabe à sociedade civil cobrar com urgência do Supremo Tribunal Federal (STF) a reinterpretação da Lei de Anistia, confirmando a decisão da Corte de que não é aceitável a impunidade a torturadores e assassinos a serviço do Estado". A entidade disse, ainda, que continua sua luta por Justiça e que esse processo "imprescindível para que possamos virar esta página sombria de nossa história, que continua a se repetir nas mortes e torturas ainda hoje praticadas por agentes do Estado" .
Como parte do procedimento perante a Corte, o Brasil reconheceu que a conduta estatal da prisão arbitrária, tortura e morte de Vladimir Herzog tinha causado severa dor aos familiares, reconhecendo sua responsabilidade.
Apesar de o Brasil ter empreendido diversos esforços para satisfazer o direito à verdade da família do senhor Herzog e da sociedade em geral, a falta de um esclarecimento judicial, a ausência de sanções individuais (...) violou o direito a conhecer a verdade, em prejuízo de Zora, Clarice, André e Ivo Herzog, diz a sentença.
O Tribunal ordenou ao Estado brasileiro que reinicie, com a devida diligência, a investigação e o processo penal correspondente àqueles fatos, para identificar, processar e, se for o caso, punir os responsáveis pela tortura e assassinato de Herzog.
Além disso, o Brasil deverá adotar as medidas mais idôneas conforme as suas instituições para que se reconheça o caráter imprescritível dos crimes contra a humanidade e crimes internacionais, assim como arcar com os danos materiais, imateriais e custas judiciais e advocatícias.
A CIDH, com sede na Costa Rica, é parte da Organização dos Estados Americanos (OEA), e suas resoluções são de acatamento obrigatório para os países do hemisfério que reconheceram sua jurisprudência.
Esta é a segunda decisão do órgão que condena o país pela falta de investigação dos crimes cometidos pela ditadura militar. Em 2011, a Corte também ordenou o país a processar os acusados pelos assassinatos cometidos no combate à guerrilha do Araguaia, quando desapareceram 62 pessoas. Isso não foi feito, entretanto, conforme apontou a subprocuradora-geral da República, Luiza Cristina Fonseca Frischeisen, em uma entrevista ao EL PAÍS, em março. "A decisão da CIDH [sobre o Araguaia] marca uma inflexão. O Supremo vai ter que enfrentar essa questão. Quando o tema é a ditadura, o Supremo não aceita a soberania da CIDH, mas em outros casos sim: na Lei Maria da Penha, na condenação do trabalho escravo, por exemplo", disse na ocasião.
Em 7 de fevereiro deste ano, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu ao Supremo Tribunal Federal, que reformou, em 2010, a Lei da Anistia, que "reflita" sobre a decisão da Corte sobre a condenação no caso da guerrilha. Ela também pediu para que o tribunal reabra o caso do ex-deputado Rubens Paiva, morto pela ditadura em 1971, o que poderia servir de precedente para outros casos.

NOTA DO BLOGUEIRO
Mais uma vez, O Brasil precisa entender uma coisa importante: Em matéria de ditadura perdoar não é esquecer. Desde os anos de chumbo, o povo clama por justiça. Infelizmente, depois de anos de liberdade, nossas leis só atendem uma pequena parte da população e não toda a poulação. 
Estas vozes perguntam: Cadê o Amarildo, Quem matou Marielle Franco, Além dos torturadores do Herzog porque outros não foram punidos. Me junto a todos os brasileiros para fazerem estas perguntas. Que a Justiça brasileira tome vergonha na cara e diga para si mesmo que a Lei da Anistia não foi feita para proteger torturador e sim garantir nossa liberdade de expressão.